O que é Wallet?

Wallets – ou, em português, carteiras – são dispositivos capazes de armazenar suas moedas digitais e mantê-las em segurança. Não precisa de muito esforço pra explicar a funcionalidade de uma carteira no mundo real: é um objeto portátil onde você guarda seu dinheiro e seus documentos. Simples assim. Mas carteiras, nesse mundo em que a gente vive, podem ser facilmente roubadas, e por isso talvez a melhor analogia para descrever com fidelidade uma wallet de criptmoeda seja um cofre. Um cofre extremamente seguro.

Deixa a gente explicar um pouco mais sobre o funcionamento desse cofre: imagine que cada uma das suas moedas digitais possui um código único e impossível de ser copiado – como uma espécie de impressão digital. A wallet é o dispositivo onde você guarda cada um desses códigos, deixando-os protegidos de qualquer tentativa de roubo ou violação.

Fundamentalmente, existem dois tipos de Wallets: quentes ou frias. Quentes se elas são capazes de se conectar com a internet e a rede de criptomoedas e frias se não possuem conectividade, se são dispositivos offline.

Wallets quentes são softwares baixados pelo usuário e instalados em um desktop, ou smartphone, que conectam-se diretamente com a rede de criptomoedas, a blockchain, permitindo, dessa forma, que um usuário realize transações financeiras com outros usuários do sistema. Ou seja, armazenando o códigos das moedas adquiridas, em caso de compra, ou transmitindo para o outro usuário o código das moedas, em caso de venda.

Wallets quentes são práticas e ágeis se você tem intenção de negociar com velocidade, se visualiza uma oportunidade imperdível ou se necessita, por algum motivo, de liquidez imediata. Porém, são mais suscetíveis a ação ilícita de hackers e cibercriminosos.

As wallets frias são compostas de dois tipos distintos: wallets de hardware e wallets de papel.

As wallets de hardware são dispositivos portáteis que se conectam com computadores via conexão usb, ou bluetooth, e possuem uma senha de acesso extremamente complexa – vamos dizer que seja uma espécie de pendrive criptografado. Dentro delas ficam armazenados em segurança, offline, os códigos dos ativos que você possui. Hoje, principalmente por conta do atributo de segurança, esse é o formato de wallet predominante no mercado e a alternativa mais popular junto a investidores do mundo todo.

A outra opção de carteira fria, é a wallet de papel. E, nesse caso, papel é literalmente papel. Os usuários dessa opção têm os códigos dos seus ativos impressos em documentos de papel com qr codes e um seqüenciamento de números. Dentre todas as opções, por conta da fragilidade do material e dos incontáveis riscos incidentais, essa é a alternativa menos recomendada. A não ser que você possua um espaço físico – como um cofre, e, nesse caso, literalmente um cofre – para armazena-las em segurança.

Notícias cripto

[email protected] Duxcripto – CNPJ: 40.703.728/0001-02